Arquivo da tag: suplementação

Promoção Noel Saradão: abasteça seu estoque ou presenteie com muita economia!

Boa tarde Suplementeiros!

Dezembrão começando e o nosso primeiro post já vem inspirado pelo espírito Natalino. As promoções chegaram com tudo na Corpo e Suplemento para você presentear e economizar!

Com os preços lá em baixo, não tem desculpa para não manter a saúde lá em cima! Afinal, não é porque a época é de festas, que temos que deixar os hábitos saudáveis de lado. O importante é buscar sempre o equilíbrio e curtir o fim de ano com muita alegria e disposição! Sem deixar de lado a alimentação saudável e a prática de exercícios.

E na boa suplementeiros, com esses descontassos na suplementação, até o Noel vai querer ficar saradão!

Dê um up de força e energia no seu presente! Venha aproveitar você também! Ho-Ho-Honoel_fitness_1 noel_fitness_2noel_fitness_4

Whey de qualidade: seu treino com o melhor resultado

Olá, Suplementeiros de plantão!!

Continuando nossa conversa do post passado, conseguimos entender um pouco sobre para que serve o Whey e também sobre os diferentes tipos que existem no mercado (qualquer dúvida, é só recorrer àquela colinha no post). Hoje devidamente informados iremos aproveitar o gancho das promoções avassaladoras Black November da Corpo e Suplemento!!

Seguem as dicas para que você chegar ao seu objetivo com muita economia!

Na linha dos concentrados, a dica vai para:  

hiper_wheyHyper Whey de 900g da Probiótica: Nos tamanhos 900g ou 3Kg, o Hiper Whey oferece concentração de 80% de proteína por porção;

xladiesXLadies Whey de 900g da ExtremeFit: marca do Grupo Suplementus com garantia de procedência e resultado. Este whey utliza matéria prima glânbia (a melhor do mundo) e é especialmente desenvolvido para mulheres, tendo em sua formulação além da whey protein, nutrientes que são essenciais à saúde das damas, como o colágeno (que mantém a beleza e vitalidade da pele, unhas e cabelos) e Betacaroteno (que ajuda a ficar com aquele bronzeado mara!).

Temos também os Wheys da categoria Blend:

4-whey-tech-1800g-atlhetica-evolution4 Whey Tech Refil de 1,8 Kg da Atlhetica: Mistura das frações concentrada, isolada e hidrolisada da whey protein, somada à uma quarta fração concentrada e ultra-filtrada.

whey_choc_on100% Whey Protein Refil de 837g da Optimum Nutrition: importado, qualidade garantida da matéria-prima Glânbia, composto por frações de proteína concentrada e isolada;

 

elite-100-whey-protein-907-dymatizeElite Whey de 900g da Dymatize: Importado, matéria-prima Glânbia, composto por frações de
proteína concentrada, isolada e concentrada hidrolisada;

whey-iso-100-dymatize-hidrolisado

 

E para fechar com chave de ouro nossas dicas de hoje, temos o Whey Iso 100 de 1,360 Kg, da Dymatize. Este Whey é importado, da linha isolada e hidrolisada, com baixíssimo teor de carboidratos.

Foco na saúde, resultado e economia só na Corpo e Suplemento! Até a próxima, Suplementeiros!

Estresse Oxidativo e Exercício

Banner 01O estresse oxidativo é um processo dinâmico e pode ocorrer devido à elevação de radicais livres. Nosso corpo produz radicais livres (mais chamados de espécies reativas de oxigênio, ou ERO) de forma contínua, como resultado de processos fisiológicos como a respiração, por exemplo.

As principais espécies reativas de oxigênio são o ânion superóxido, peróxido de hidrogênio e radical hidroxil. Essas moléculas possuem funções sinalizadoras no organismo, estímulo à apoptose de células doentes,

Para contrabalancear a produção exagerada de ERO, o organismo possui os chamados sistemas de defesa antioxidantes. Esses sistemas podem ser classificados em enzimáticos e não enzimáticos, sendo os enzimáticos a primeira linha de defesa. Compreende as enzimas superóxido dismutase, catalase, glutationa redutase e glutationa peroxidase, basicamente. O sistema não enzimático compreende vitaminas e demais substâncias com ação antioxidante como a vitamina C, lactato, ácido úrico. Esses sistemas, em situações normais, são eficazes em neutralizar a reatividade das ERO.

O estresse oxidativo é um processo patológico caracterizado pelo aumento das substâncias pró-oxidantes a tal ponto que o sistema antioxidante se torna incapaz de realizar a total neutralização. Com isso, pode desencadear diversas alterações na homeostase celular.

O exercício físico altera de forma importante a homeostase celular, como lesão e inflamação muscular que acabam por estimular a adaptação do sistema antioxidante para enfrentar tal situação. Contudo nos exercícios de longa duração e alta intensidade tem sido observada elevação das substâncias pró-oxidantes.

Devido a isso, a alimentação torna-se extremamente importante, pois deve ofertar ao organismo substâncias que estimulem a atividade do sistema antioxidante.

Dentre as substâncias mais estudadas destacam-se as vitaminas C e E, a creatina, a glutamina, os polifenóis, catequinas e antocianinas (encontradas em chás e alimentos de origem vegetal).

Dessa forma, para evitar que ocorra o acúmulo de substâncias reativas no organismo, especialmente durante o exercício de alta intensidade, o consumo de substâncias protetoras traz benefícios para evitar estresse metabólico e acúmulo de substâncias reativas que diminuem o desempenho esportivo e podem desencadear doenças.

Os benefícios do Açaí

Banner 02O açaí é um fruto tipicamente brasileiro, muito consumido no Norte do país e que, nos últimos anos, ganhou fama de herói, especialmente para quem procura melhorar a saúde por meio da alimentação e da atividade física.

Toda essa fama se deve à sua composição nutricional e características sensoriais; é considerado um alimento funcional devido à sua alta concentração de antocianinas, compostos que conferem a cor arroxeada. Essas substâncias são conhecidas por suas propriedades fármaco-medicinais como anti-inflamatória, antimicrobiana, anticarcinogênica e antioxidantes; dessa forma, atua na prevenção de doenças cardiovasculares e neurológicas, além de minimizar os efeitos do envelhecimento (Alasalvar et al., 2005).

Em 100 g de produto contém aproximadamente 40g de gorduras, 42g de carboidratos e 8g de proteínas e 489 kcal. Embora seja um alimento hipercalórico e com alta concentração de gorduras, a principal fração (52%) é gordura insaturada (ácido oleico) que conferem boa influência nos triglicerídeos e saúde cardiovascular.

O açaí é um fruto extremamente versátil; o fruto contém pouca polpa que envolve uma grande semente. No norte do país é consumido de forma integral, em diferentes preparações, geralmente armazenado sob refrigeração ou consumido no próprio momento. Contudo, para ser transportado até as demais regiões do país, a polpa é concentrada e congelada. O processo de congelamento, embora eficaz em diminuir atividade de bactérias deteriorantes e consequentemente em aumentar a vida útil do produto, acaba por diminuir o valor nutricional da polpa, especialmente vitaminas, minerais e poder antioxidante.

A liofilização é um método de conservação de alta tecnologia que consiste em evaporar a água do produto do estado sólido direto para o gasoso. Com isso, todas as propriedades funcionais e nutricionais do açaí são preservadas.

Para o praticante de exercício físico, o consumo de antioxidantes é de extrema importância, especialmente devido à manutenção da função imunológica e integridade intestinal. Com isso, alguns produtos já oferecem mix proteicos, shakes proteicos e Whey protein adicionado de açaí liofilizado. Os wheys adicionados com açaí oferecem, além de rica composição de aminoácidos que auxiliam na síntese e recuperação muscular, alta composição de antioxidantes, essenciais para a manutenção da saúde e todo o sabor do verdadeiro açaí.

Para quem busca mais saúde e tem interesse em se beneficiar das propriedades desse fruto poderoso, os suplementos que contém sua versão liofilizada são boas opções e podem ser aliados do estilo de vida saudável.

Açúcares: como esquivar?

Banner 01O consumo excessivo de açúcares é um dos hábitos de ordem nutricional que apresentam maior risco à saúde da população.

O açúcar de mesa (sacarose) é amplamente utilizado das mais diferentes formas e receitas, tanto na casa quanto na indústria de alimentos. A sacarose é formada por uma molécula de glicose e uma de frutose e, aqui no Brasil, é obtida por meio do beneficiamento da cana da cana-de-açúcar.

Alvo de várias pesquisas, o consumo excessivo de sacarose tem ocasionado diversos tipos de doenças, além dos já conhecidos efeitos de aumento do ganho de peso e gordura abdominal

Um dos efeitos mais estudados, é o efeito viciante que a sacarose proporciona. Quando o açúcar é ingerido, promove um aumento da dopamina e serotonina, neurotransmissores relacionados ao prazer e sensação de bem estar. Por ter alto índice glicêmico, a sacarose estimula elevada secreção de insulina pelo pâncreas; a insulina é o hormônio responsável pela entrada da glicose nas células. A hiperinsulinemia provocada pela ingestão de sacarose faz com que os açúcares sejam rapidamente consumidos. Com isso, excitação passa e a vontade de comer novamente aumenta.

Dentre os principais malefícios do consumo de açúcar destacam-se:

– Obesidade abdominal ou visceral, que aumenta o risco para desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, resistência insulínica, doenças cardiovasculares, esteatose hepática;

– Altamente cariogênico, pois são fonte de energia para a bactéria Streptococcus mutans, principal agente causador de cáries;

– Alterações intestinais já que são altamente fermentáveis e promovem a diminuição das bactérias benéficas ao intestino;

– Fator de risco para desenvolvimento de diabetes tipo 2;

– Câncer, pelo conjunto de vários fatores de risco.

Com base nos diversos malefícios que o excesso de açúcar da dieta pode causar, há uma preocupação em criar alternativas que substituam o açúcar e mantenham o sabor agradável.

Com isso, a indústria desenvolveu diversos tipos de adoçantes, obtidos de forma natural ou artificial e a partir disso, desenvolveram-se inúmeros produtos com a expressão “zero”: zero açúcar, sódio, calorias, gorduras, dentre outros.

Para diminuir a ingestão de açúcares, independentemente se o indivíduo é ou não diabético, algumas medidas básicas são necessárias como evitar refrigerantes e bebidas prontas, inclusive nas versões diet; preferir cereais integrais; não adoçar sucos naturais; reduzir gradativamente o açúcar nas preparações.

Para não quem ama doces e não quer abrir mão do sabor e nem da saúde, opções de doces sem açúcares, calorias e sódio (como caldas para adicionar em preparações como tapiocas, torradas, dentre outros) pode ser uma boa opção. Basta observar o tipo de edulcorante utilizado: preferência para estévia, sucralose, xilitol, acessulfame-k.

Com base em todas as evidências que mostram que o consumo excessivo de açúcar traz malefícios para a saúde o segredo é o equilíbrio. E se a vontade de doces ainda é alta, substituir por versões zero açúcar e sódio podem ser aliados de quem deseja hábitos de vida saudáveis.

Imunidade: os pré e probióticos

Os pré e probióticos são amplamente estudados, não apenas por sua importância intestinal mas também como agente imunomodulador. Os prebióticos são fibras (especialmente solúveis como frutooligossacarídeos, por exemplo) que servem como substrato para proliferação e manutenção do microbioma intestinal enquanto os probióticos são os próprios micro-organismos disponíveis nos mais diferentes veículos (pó, líquido, saches), prontos para colonizar o intestino. Há também os simbióticos, que são compostos de pré e probióticos.

O intestino, até não muito tempo atrás, era considerado apenas o “esgoto” do organismo: os nutrientes eram absorvidos e o que não era simplesmente era jogado fora. Hoje, graças a diversas pesquisas, os profissionais da saúde sabem que o intestino além de sua função de absorção básica, é importante órgão regulador de diversas funções corporais, pois ele é extremamente inervado pelo sistema nervoso. Esse fato faz com que o intestino, quando não está saudável, seja responsável por doenças metabólicas (como obesidade, diabetes, câncer) e neurológicas (como Parkinson e esclerose múltipla). Como se não bastasse, ele ainda é importante regulador da imunidade, devido ao número de células imune e bactérias.

Essa grande colônia de bactérias e células de imunidade é chamada de microbiota (ou microbioma) intestinal. As bactérias intestinais agem como facilitadoras da absorção de nutrientes, produção de vitaminas (como vitamina K e B12) e regulação da imunidade.

Infelizmente, o ritmo diário e estressante da vida moderna, aliados aos hábitos inadequados de alimentação (consumo frequente de fast food e produtos industrializados e refeições pobres em fibras, vitaminas e minerais) faz com que o microbioma seja prejudicado e, com isso, o intestino fica mais permeável a agentes infecciosos e inflamatórios.

Como dito nos posts anteriores, o período de frio afeta diretamente nossa imunidade. Manter a saúde intestinal nesse período configura importante estratégia para manter afastadas as doenças comuns do frio, além de facilitar o controle de peso corporal.

Alguns pesquisadores (Jespersen et al., 2015) avaliaram a suplementação de probiótico (Lactobacillus paracasei) no controle de infecções do trato respiratório superior. Identificaram que essa suplementação foi capaz de reduzir o tempo de manifestação dos sintomas.

O consumo de fontes de pré e probióticos não é comum na população brasileira. Dessa forma, a suplementação dessas substâncias traz muitos benefícios ao intestino e à imunidade, além da praticidade no consumo.

Resfriados e Gripes: o papel da alimentação

No período de frio, especialmente para nós brasileiros, tão acostumados com o calor, ocasionam, além das alterações metabólicas, mudanças no sistema imune induzindo a diversas doenças bem características desse período, como resfriado, gripe, pneumonia, sinusites e alergias. Como visto, as vias respiratórias são as estruturas que mais sofrem com a temperatura mais baixa, seja por infecção de vírus, fungos ou bactérias (que se aproveitam da vulnerabilidade do organismo e a propensão de ficarmos todos juntos em lugares fechados) ou por demais elementos (poeira, mofo, pelos de animais).

Dentre os nutrientes que podem ter um papel importante na prevenção e redução do tempo de sintomas dos resfriados, destacam-se as vitaminas C e Ee minerais como zinco e selênio. A vitamina C, inclusive, é alvo dos conselhos de vovós para curar gripe. Será que elas estão certas?

Um estudo de revisão procurou identificar se a vitamina C era eficaz na prevenção e controle de resfriados. Observou-se que em alguns ensaios, ela teve papel fundamental na redução dos sintomas e gravidade de resfriados. Em um estudo de 2012 (Maggini; Beveridge, 2012) foi testada a combinação de vitamina C e zinco; essa combinação, segundo os autores os sintomas foram amenizados mais rapidamente do que o placebo; assim essa combinação é segura e eficaz para tratamento de gripes.

Os ácidos graxos ômega 3, 6 e 9 também têm papel imunomodulador importante.  Essas gorduras insaturadas não são produzidas pelo organismo e precisam ser obtidas por meio da alimentação. Além do fortalecimento da imunidade, são protetoras do sistema cardiovascular. As principais fontes alimentares dessas gorduras são abacate, linhaça, sardinha, salmão, oleaginosas e azeite de oliva. Contudo, a suplementação pode ser grande aliada, pois os alimentos fonte dificilmente são consumidos diariamente pela nossa população.

Como visto, os benefícios da nutrição adequada durante o inverno vão além de controle de peso corporal; vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais são fundamentais para a manutenção da imunidade e prevenção das doenças do trato respiratório, bem como a redução do tempo de manifestação dos sintomas.

O uso de termogênicos no exercício físico

A procura por termogênicos cresceu; qual a vantagem em utilizá-los?

O inverno, como dito no post anterior, ajuda nosso corpo a gastar mais energia. Além da continuidade dos bons hábitos alimentares também nesse período, o exercício físico é outra importante estratégia para aumento da taxa metabólica e gasto energético em dias frios.

A prática regular de exercício físico promove aumento de massa muscular esquelética, diminuição dos estoques de gordura e, consequentemente, aumento do gasto calórico, além de promover melhor sensibilidade à insulina e aumento da tolerância ao uso da glicose. O gasto energético acontece, ainda, pelo estímulo de reações metabólicas e aumento do uso de substratos pelos músculos ativos. O exercício também participa da termogênese mediada pelo tecido marrom, este bem conhecido pelo seu papel no controle do gasto energético corporal (Kirsi, 2014).

Os termogênicos, associados ao exercício físico e a uma alimentação adequada, têm sido alvo de muitos estudos na comunidade científica. O estudo realizado por Bergstrom et al. (2014) comparou o uso de um mix de termogênicos antes, durante e após a prática de exercício físico, em homens. Os resultados demonstraram que durante a prática do exercício, houve maior gasto de energia e consumo de oxigênio por aqueles que foram suplementados com termogênicos.

Atualmente, são muitos alimentos e substâncias conhecidas como termogênicos: pimenta, gengibre, canela, chás, guaraná, cafeína, dentre muitos outros. A cafeína (isolada e naturalmente presente no café e chás) é um dos mais estudados. Em 2005, o estudo conduzido por Andrews et al. objetivou testar um suplemento composto por Camellia sinensis (mesma planta utilizada para preparo do chá verde, porém com a folha oxidada) e cafeína. Os resultados sugeriram que esse composto foi capaz de aumentar a taxa metabólica após uma hora e mais 2 horas após a ingestão. Uma metanálise realizada com outros 6 estudos também avaliou a ingestão de cafeína pura e mix de catequinas e cafeína sobre a termogênese. A conclusão foi de que a ingestão do mix de catequinas e cafeína aumentou de forma estatisticamente significativa a oxidação de gorduras quando comparado ao placebo (substância sem efeito) (Hursel et al., 2011).

Outro produto com potencial efeito termogênico é o extrato de Citrus aurantium. Essa planta, também conhecida por “laranja amarga”, possui uma substância chamada Sinefrina, a responsável pela termogênese. Muitos produtos já colocam tal substância em suas fórmulas. O que a ciência no diz? Um estudo de revisão discorre sobre esses efeitos e chegaram à conclusão que o consumo de Citrus aurantium promoveu maior perda de peso quando comparado a um período sem essa ingestão (Preuss et al., 2002). Já em 2011, outro estudo foi realizado com a mesma substância isolada ou combinada. Resultado: em ambas as formas, houve um maior gasto energético (Stohs et al., 2011).

Dessa forma, o uso de termogênicos, concomitante ao estilo de vida saudável, pode ser um grande aliado para aumentar ainda mais o gasto energético e potencializar a perda de peso.

Mullberry ou Amora

A Mullberry é um fruto semelhante à Amora, que possui inúmeros benefícios à saúde. Nutrientes capazes de melhorar e estimular as defesas do organismo, combatendo infecções e problemas patológicos.

A Mulberry foi trazida de fora, e aos poucos vem ganhado o mercado por diversos consumidores devido aos seus efeitos. Consumido principalmente pelas mulheres, por atuar em diversos locais, principalmente no combate ao envelhecimento cutâneo, sendo a “queridinha” do sexo feminino. Possui ação anti-inflamatória e antioxidante devido às antocianinas e o Resveratrol que agem diretamente na derme, além de ser fonte de vitamina C, K e de Ferro.

Ela ajuda em diversos problemas, como no controle de glicemia evitando um possível agravante, emagrecimento, melhora de colesterol e possui componentes capazes de auxiliar no combate ao câncer, porem estudos ainda devem ser realizados para elucidar de forma clara as quantidades e de qual a melhor forma de aproveitamento.

A melhor forma de se encontrar Mullbery é em casa de suplementos através do seu extrato puro, podendo ser misturada em sucos, juntamente com refeições e shakes, enfim, uma afinidade de opções para consumi-la.

Mulberry Active – Superfrutas 120g
Felipe Ongaratto
CRN8 9505

Golden Berry

              A preocupação com a saúde tem sido frequente nos dias atuais principalmente pelo aumento no numero de doenças relacionadas á má alimentação, combinados com maus hábitos de vida e sedentarismo. Sabe-se que o consumo de alimentos processados, ricos em gorduras e com altas concentrações de açucares e sódio, acabam ao longo de anos, oferecendo diversos riscos a saúde e problemas diversos, como pressão alta, obesidade, diabetes, podendo levar a morte.

               Contra isso, possuem inúmeros alimentos capazes de auxiliar e melhorar a resposta do nosso organismo contra inflamações, infecções e ajudar em demais processos fisiológicos. Destacamos a nova “queridinha” das “berrys” conhecida como Golden Berry ou Physalis peruviana é uma fruta originária do Peru, Colômbia, Equador mais possuindo seu reconhecimento em países como Austrália, África do Sul e China. Essa pequena fruta possui a coloração Amarelo-Ouro, e pode ser considerada um dos alimentos mais completos de origem vegetal, cada 100g desta fruta possui cerca de 49kcal. Indicado para dietas vegetarianas e Veganas, devido ao seu alto teor proteico presente, pode ser um sugestão para quem não se alimenta de carne vermelha. A Golden Berry  é rica em diversos nutrientes como Fósforo, Cálcio, Ferro, Niacina, Fibras, Aminoácidos, Vitamina C e A além de vitaminas do complexo B, pectina e propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

                As substancias presentes nesta fruta são extremamente importante para o bom funcionamento do nosso organismo combatendo os radicais livres, retardam o envelhecimento precoce, proteção contra o sistema imunológico, colabora contra problemas cardiovasculares, doenças neurodegenerativas, diabetes, câncer e nos sintomas da TPM. Depois de saber disso tudo não há como não aderir à dieta. Agora é com você.

 

Golden Berry Active – Superfrutas 120g

Felipe Ongaratto
CRN8 9505