Arquivo da categoria: Sem açúcar

Comece a Folia com Muita Energia

Alimentos que aumentam a energia

O Brasil é um pais que sempre é lembrado pela sua alegria, e o nosso carnaval o mais animado que existe, se você é desses que adora curtir uma bela folia de carnaval, anote essas dicas de alimentação que vão deixar você com toda a Energia necessária para curtir esta linda festa.

Primeiramente mantenha-se hidratado ingerindo mais sucos naturais, água de coco, isotônicos e até mesmo água, essa medida é importantes pois neste período acabamos ingerindo mais bebidas alcoólica e suando muito mais, procure sempre se alimentar com pequenas porções de alimento e de preferência alimentos mais leves e com pouca gordura.

Vamos conhecer alguns alimentos que vão fornecer toda a energia necessário para você curtir o carnaval.

Alimentos ricos em cafeína como Guaraná, Café e até mesmo o Chá Verde são ótimas alternativas para quem quer manter aquele pique, além de estimular esses alimentos aumentam a disposição e evitam a fadiga.

Alimentos que são ótimas fontes de energia são os carboidratos, mais dê preferência aos Carboidratos Complexos como, pão integral, batata doce, aveias, lentilha, linhaça entre outro, estes alimentos além de promover mais saciedade liberam energia gradativamente para você curtir a noite toda.

Agora se você é daqueles que não dispensa uma bela cervejinha a dica é o seguinte, utilize Canela em algumas preparações antes de sair para a folia, quando bebemos os nossos níveis de glicose cai mais rapidamente e já a canela contribui para o controle dessa glicemia, mantendo os níveis de glicose em dentro da normalidade

Para não perder o folego o segredo está no alimento que você irá escolher para ser o seu grande parceiro desta festa incrível. Anote essas dicas, coloque em pratica e DIVIRTA-SE

 

Mariana Buriolla – CRN 5220

        Nutricionista

Conheça os Benefícios do Adoçante Xilytol


O Xilytol é um adoçante de baixo valor energético e índice glicêmico. Tolerado por diabéticos, o adoçante possui várias aplicabilidades clínicas, como por exemplo, seu efeito anti-cariogênico (Caries), este efeito é atribuído ao fato de que o xilytol estimula maior salivação, proporcionando   aumento concomitante dos níveis de algumas enzimas, melhorando a capacidade tamponante e a atividade bacteriostática da saliva, tornando o ambiente bucal menos favorável para odesenvolvimento de bactérias.

Estudo de 1998, realizado na Finlândia por MÄKINEN ET AL, onde durante dois anos os indivíduos que participaram do projeto foram orientados a substituir sucralose por xilytol, encontrou-se uma redução de 85% na incidência de cáries dentárias. Outra característica do adoçante em razão de seu elevado calor de solução endotérmico (34,8 cal/g), é o agradável efeito refrescante na boca, realçando o efeito refrescante dos produtos com sabor de menta, tais como balas e gomas de mascar (PEPPER, OLINGER, 1988). O adoçante é encontrado naturalmente em frutas, estando em proporções um pouco maiores nas vermelhas, tais como ameixas, morangos, framboesas e alguns vegetais.

 

A molécula de Xilitol é considerada um álcool-carboidrato e uma de suas vantagens para além da parte clínica, envolve basicamente sua estabilidade química microbiológica, que lhe permite impedir ou retardar o crescimento de microrganismos aumentando, assim, o tempo de vida de determinados produtos na prateleira. Como já pontuado, o xilitol é extremamente bem tolerado. A sugestão é a de que pequenas doses correspondentes no máximo a 20g, com tempo relativamente moderado entre a ingestão de uma porção e outra, não ultrapassando 60g/dia (CULBERT ET AL., 1986).

A limitação ou padronização do consumo é sugestiva devido ao efeito laxativo do adoçante, um dos motivos que, provavelmente, não levam as empresas a utilizarem o mesmo em refrigerantes e outras bebidas. Alguns estudos ainda relacionam o uso do xilytol como um importante agente na reversibilidade de patologias como a anemia hemolítica, ajudando a manter a integridade da membrana plasmática dos glóbulos vermelhos (YLIKAHRI, 1979) e em pacientes com lesões renais e parenterais, pela sua caraterística de baixo índice glicêmico (VAN EYS ET AL., 1974).

Acrescentar o Xilytol na sua dieta pode trazer inúmeros benefícios, mas lembre-se: consulte sempre um profissional qualificado para que o ajuste em relação ao consumo seja proporcional a sua necessidade que, por sinal, é pautada também no seu objetivo. Refresque sua dieta e previna-se!

Renan Vinicius Nogueira.

A ação do Cromo e seus benefícios!

Se você procura acelerar o metabolismo de maneira prática e totalmente segura, o cromo é um mineral essencial que pode auxiliar neste processo. Conheça um pouco mais sobre a ação do cromo e seus benefícios.

O Cromo participa ativamente do metabolismo de carboidratos, atuando simultaneamente com a insulina, melhorando a tolerância à glicose por sensibilizar a liberação do respectivo hormônio (MERTZ W. 1969).

Por sensibilizar à insulina, o cromo pode influenciar também no metabolismo proteico, promovendo maior estímulo da captação de aminoácidos e, consequentemente, aumentando a síntese proteica (CLARKSON PM, 1997). Existem, ainda, algumas evidências sobre a função do cromo no metabolismo dos lipídios (gorduras), auxiliando no controle dos colesteróis resultando em consequente equilíbrio plasmático dos mesmos (GRANT K.E ET Al; 1997).

A capacidade do cromo de sensibilizar a liberação de insulina pode auxiliar na reversibilidade ou na minimização da colateralidade de doenças crônico-degenerativas, tais como diabetes (I e II) e síndromes metabólicas. Pode auxiliar também no processo de emagrecimento, pois, sua capacidade em auxiliar o controle glicêmico estimulando a liberação de insulina faz com que a sensação de saciedade seja mais prolongada, principalmente pela liberação de leptina, hormônio que inibe o apetite (NEGRÃO AB,2000). O cromo pode influenciar também na diminuição da compulsividade por doces, ou seja, pra quem sofre com ansiedade e vê no consumo de açúcar a rota de fuga para diminuir o processo, pode utiliza-lo como um importante aliado.  A publicação recente das novas ingestões dietéticas de referência (DRI) trouxe um valor de ingestão adequada para este mineral correspondente a 25 e 35µg/ dia para mulheres e homens adultos, respectivamente.

É importante lembrar que por menor que sejam os riscos, o consumo deve ser sempre produto da orientação e prescrição de profissionais capacitados, até mesmo para garantir a integridade da suplementação, seja nos aspectos clínicos ou voltados ao rendimento atlético.

As Cápsulas do Picolinato de Cromo de diversas marcas e dosagens, você encontra aqui!

Alimentos Termogênicos

Os alimentos termogênicos são aqueles que apresentam maior grau de dificuldade ao serem digeridos pelo organismo, fazendo com que o consumo de energia e caloria para realizar a digestão sejam mais expressivos. Gasta-se energia para digerir todos alimentos, ou seja, qualquer macro (carboidrato, proteína e lipídio) tem a capacidade de aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, podendo desta forma aumentar concomitantemente a queima de gordura. Existem alguns que se destacam mais que outros, pois, induzem o metabolismo a trabalhar em um ritmo mais acelerado ou de maneira mais intensa, seja pela dimensão da estrutura molecular ou pela propriedade nutricional intrínseca. Alguns nutrientes não possuem valor energético tão elevado, mas corroboram catalisando o processo termogênico. Dentre os mais populares temos:

Taurina: A taurina é um aminoácido cuja função é aumentar a excreção celular de sódio e de água (efeito diurético), regular a entrada de cálcio nas células cardíacas, garantindo melhor contratilidade e protege o coração contra a ação deletéria dos radicais livres (efeito antioxidante).

 

Pimenta vermelha doce: A capsaicina é o componente ativo das pimentas. O consumo desse aditivo aumenta a salivação, estimula a secreção gástrica e a motilidade gastrointestinal, proporcionando uma sensação de bem-estar (CRISÓSTOMO ET AL, 2006). Em estudos com seres humanos, a pimenta vermelha induziu redução na repetição da ingestão alimentar, elevado gasto energético pós-refeição e oxidação lipídica, ou seja, maior queima e utilização de gordura (WESTERTEP ET AL, 2005).

 

Laranja Amarga: Tradicionalmente, a laranja amarga é usada como medicamento alternativo em alguns países para tratar ansiedade, insônia e como anticonvulsiva. Estudos sugerem que a laranja amarga (citrus aurantium) pode melhorar o tempo de sono induzido por barbitúricos e diminuir a compulsividade alimentar (MAHMOOD AKHLAGHI, 2011).

 

Cafeína: A cafeína é adicionada à maioria dos suplementos termogênicos devido à sua capacidade em aumentar o metabolismo, promover a lipólise, a oxidação de gordura e colaborar, indiretamente, com o aumento da força muscular. Quando consumida em doses moderadas tem mostrado aumentar o desempenho físico e mental, tornando-a assim o composto ideal para combater a fadiga (WELLS A. J; 2014).

 

L-Carnitina: Como suplemento, a L-carnitina vem sendo utilizada com efeitos comprovadamente positivos, com o intuito de realçar a performance aeróbia (BRASS E.P; 2000), provavelmente devido à facilitação da entrada de gordura para o interior da mitocôndria, organela que ‘’queima’’ os nutrientes e produz energia, sendo assim, umas das responsáveis diretas pela termogênese. Alguns estudos demonstraram que a L-carnitina poderia retardar a fadiga muscular e as dores causadas pelo esforço físico excessivo, atuando também, quando suplementada, como um antioxidante intracelular, ou seja, prevenindo a célula das agressões dos radicais livres.

Açúcares: como esquivar?

Banner 01O consumo excessivo de açúcares é um dos hábitos de ordem nutricional que apresentam maior risco à saúde da população.

O açúcar de mesa (sacarose) é amplamente utilizado das mais diferentes formas e receitas, tanto na casa quanto na indústria de alimentos. A sacarose é formada por uma molécula de glicose e uma de frutose e, aqui no Brasil, é obtida por meio do beneficiamento da cana da cana-de-açúcar.

Alvo de várias pesquisas, o consumo excessivo de sacarose tem ocasionado diversos tipos de doenças, além dos já conhecidos efeitos de aumento do ganho de peso e gordura abdominal

Um dos efeitos mais estudados, é o efeito viciante que a sacarose proporciona. Quando o açúcar é ingerido, promove um aumento da dopamina e serotonina, neurotransmissores relacionados ao prazer e sensação de bem estar. Por ter alto índice glicêmico, a sacarose estimula elevada secreção de insulina pelo pâncreas; a insulina é o hormônio responsável pela entrada da glicose nas células. A hiperinsulinemia provocada pela ingestão de sacarose faz com que os açúcares sejam rapidamente consumidos. Com isso, excitação passa e a vontade de comer novamente aumenta.

Dentre os principais malefícios do consumo de açúcar destacam-se:

– Obesidade abdominal ou visceral, que aumenta o risco para desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, resistência insulínica, doenças cardiovasculares, esteatose hepática;

– Altamente cariogênico, pois são fonte de energia para a bactéria Streptococcus mutans, principal agente causador de cáries;

– Alterações intestinais já que são altamente fermentáveis e promovem a diminuição das bactérias benéficas ao intestino;

– Fator de risco para desenvolvimento de diabetes tipo 2;

– Câncer, pelo conjunto de vários fatores de risco.

Com base nos diversos malefícios que o excesso de açúcar da dieta pode causar, há uma preocupação em criar alternativas que substituam o açúcar e mantenham o sabor agradável.

Com isso, a indústria desenvolveu diversos tipos de adoçantes, obtidos de forma natural ou artificial e a partir disso, desenvolveram-se inúmeros produtos com a expressão “zero”: zero açúcar, sódio, calorias, gorduras, dentre outros.

Para diminuir a ingestão de açúcares, independentemente se o indivíduo é ou não diabético, algumas medidas básicas são necessárias como evitar refrigerantes e bebidas prontas, inclusive nas versões diet; preferir cereais integrais; não adoçar sucos naturais; reduzir gradativamente o açúcar nas preparações.

Para não quem ama doces e não quer abrir mão do sabor e nem da saúde, opções de doces sem açúcares, calorias e sódio (como caldas para adicionar em preparações como tapiocas, torradas, dentre outros) pode ser uma boa opção. Basta observar o tipo de edulcorante utilizado: preferência para estévia, sucralose, xilitol, acessulfame-k.

Com base em todas as evidências que mostram que o consumo excessivo de açúcar traz malefícios para a saúde o segredo é o equilíbrio. E se a vontade de doces ainda é alta, substituir por versões zero açúcar e sódio podem ser aliados de quem deseja hábitos de vida saudáveis.