Arquivo da categoria: probióticos

Alimentação x Sono

Quantas horas você dorme por dia? Para alguns indivíduos a arte de ter uma boa noite de sono é um desafio e tanto, a qualidade do seu sono pode estar diretamente ligada a qualidade da sua alimentação.

Algumas pesquisam relatam que os brasileiros têm como habito ter cerca de sete horas e meia de sono, ficando abaixo da média de outros 20 países pesquisados. Isto está diretamente ligado a alguns fatores como estresses, problemas financeiros, excessos de aparelhos eletrônicos com o celular ou tudo isso associado além dos maus hábitos alimentares.

Se dormimos mal este hábito a longo prazo pode potencializar o desenvolvimento de algumas doenças como obesidade, hipertensão, doenças ligadas ao coração e diabetes.

Quando o assunto é alimentação temos de lembrar que alguns alimentos podem prejudicar ainda mais a qualidade do seu sono, por incrível que parece alguns alimentos são ricos em cafeína substancia esta que estimula o sistema nervoso central e com isso atrapalhando a qualidade do sono ou até mesmo provocando insônia.

Alimentos ricos em cafeína:

  • Guaraná;
  • Chá preto, chá mate e chá verde;
  • Refrigerantes;
  • E chocolates.

Outros alimentos que devemos evitar antes de dormir, são aqueles ricos em gorduras pois podem causar algum mal-estar gástrico, refluxo e até mesmo azia além dos alimentos gorduroso o consumo de grandes volumes alimentares também podem causar os mesmos sintomas.

Alimentos gordurosos:

  • Bacon;
  • Linguiças;
  • Fast Food em geral;
  • E/ou Frituras.

Mais não fiquem desesperado (a) pois temos alimentos que são “amigos” do sono, uma das alternativas para melhorar a qualidade do sono e/ou e acabar com as noites mal dormidas é dar preferência a alimentos ricos em Triptofano, substancia essa que ajuda na produção da Serotonina que é um poderoso neurotransmissor que favorece o relaxamento e induz o sono.

Alimentos ricos em Triptofano.

  • Carnes;
  • Peixes;
  • Ovos;
  • Leite e derivados.

Então aquele leitinho quente antes de dormir que a nossa “vovó” sempre falou que ajudava a dormir é 100% verdade.

Uma boa noite de sono está diretamente ligado a qualidade de vida então, escolha melhor seus alimentos, pratique atividade física diariamente, evite usar aparelhos eletrônicos antes de dormir e procure sempre ir se desligando da agitação do dia-dia e aproveite seu sono.

E bons sonhos!!

 Mariana Buriolla – CRN 5220

           Nutricionista

 

Depois da Folia é Hora de Recuperar o Corpo

Apesar de cuidarmos sempre na nossa saúde não podemos deixar de admitir que nesta época do ano acabamos exagerando em diversos aspectos, como noites mal dormidas, aumento do consumo e bebida alcoólica ou até mesmo deixar de se alimentar, ai eu pergunto como fica o nosso corpo?

Nosso fígado e o nosso intestino são os órgãos que mais sentem os impactos desses quatros dias de muitas folia e diversão, mais e agora? Como recuperar?

Afinal nosso organismo leva um tempo para desintoxicar, anote algumas dicas:

  • Aumente o consumo de líquidos;
  • Consuma mais verduras, frutas e legumes;
  • Mantenha os horários das refeições;
  • Evite consumir alimentos ricos em gorduras e açucares;
  • Beba mais chá desintoxicante;
  • Descanse!

Faça Bebidas à base de chás pode ser o chá verde, hibisco, boldo, camomila não importa associe ele com frutas, água de coco, acrescente alguma oleaginosas, essas combinações irão fazer maravilhas para o seu fígado e intestino e auxiliar para uma recuperação mais rápida e eficiente.

Detox com Chá Verde

  • 1 fatia grossa de abacaxi;
  • 200 ml de chá verde;
  • 1 pedaço de gengibre;
  • 1 colher de chá de semente de linhaça.

Bata tudo no liquidificador e bebe em seguida.

Agora é voltar a rotina e manter os cuidados com a saúde.

Mariana Buriolla – CRN 5220

Nutricionista

Imunidade: os pré e probióticos

Os pré e probióticos são amplamente estudados, não apenas por sua importância intestinal mas também como agente imunomodulador. Os prebióticos são fibras (especialmente solúveis como frutooligossacarídeos, por exemplo) que servem como substrato para proliferação e manutenção do microbioma intestinal enquanto os probióticos são os próprios micro-organismos disponíveis nos mais diferentes veículos (pó, líquido, saches), prontos para colonizar o intestino. Há também os simbióticos, que são compostos de pré e probióticos.

O intestino, até não muito tempo atrás, era considerado apenas o “esgoto” do organismo: os nutrientes eram absorvidos e o que não era simplesmente era jogado fora. Hoje, graças a diversas pesquisas, os profissionais da saúde sabem que o intestino além de sua função de absorção básica, é importante órgão regulador de diversas funções corporais, pois ele é extremamente inervado pelo sistema nervoso. Esse fato faz com que o intestino, quando não está saudável, seja responsável por doenças metabólicas (como obesidade, diabetes, câncer) e neurológicas (como Parkinson e esclerose múltipla). Como se não bastasse, ele ainda é importante regulador da imunidade, devido ao número de células imune e bactérias.

Essa grande colônia de bactérias e células de imunidade é chamada de microbiota (ou microbioma) intestinal. As bactérias intestinais agem como facilitadoras da absorção de nutrientes, produção de vitaminas (como vitamina K e B12) e regulação da imunidade.

Infelizmente, o ritmo diário e estressante da vida moderna, aliados aos hábitos inadequados de alimentação (consumo frequente de fast food e produtos industrializados e refeições pobres em fibras, vitaminas e minerais) faz com que o microbioma seja prejudicado e, com isso, o intestino fica mais permeável a agentes infecciosos e inflamatórios.

Como dito nos posts anteriores, o período de frio afeta diretamente nossa imunidade. Manter a saúde intestinal nesse período configura importante estratégia para manter afastadas as doenças comuns do frio, além de facilitar o controle de peso corporal.

Alguns pesquisadores (Jespersen et al., 2015) avaliaram a suplementação de probiótico (Lactobacillus paracasei) no controle de infecções do trato respiratório superior. Identificaram que essa suplementação foi capaz de reduzir o tempo de manifestação dos sintomas.

O consumo de fontes de pré e probióticos não é comum na população brasileira. Dessa forma, a suplementação dessas substâncias traz muitos benefícios ao intestino e à imunidade, além da praticidade no consumo.