Arquivo da categoria: índice glicêmico

ALFARROBA

Procura uma alternativa nutricionalmente melhor do que os chocolates tradicionais nesta páscoa? Algo que não influencie negativamente na sua dieta, no seu peso e na sua saúde, mas que lhe proporcione o mesmo prazer na ingestão? Experimente os produtos à base de alfarroba, você vai se surpreender!

 

A alfarroba é proveniente da Alfarrobeira, uma árvore rústica, resistente à seca e que consegue sobreviver e crescer em regiões de solos muito pobres. Considerada uma leguminosa arbórea, sua vagens podem ser utilizadas na produção de uma farinha, propícia para o consumo humano e que se assemelha ao cacau, tanto no sabor como no aroma.

A alfarroba em pó é rica em carboidratos, proteínas, pobre em gorduras e apresenta alto teor de fibras. O consumo adequado de fibras na dieta usual parece reduzir o risco de desenvolvimento de algumas doenças crônicas como: doença arterial coronariana, derrames, hipertensão, diabetes melito e algumas desordens gastrointestinais. Além disso, o aumento na ingestão de fibras melhora os níveis de colesterol e triglicérides circulantes. Em 100g de alfarroba contém 90 g de carboidrato,  4,5   proteína,   40g   de   fibra alimentar e 0 mg de sódio; 350 mg de cálcio, 0,45g  de  vitamina  B2,  0,035g  de  vitamina B6  além  de  não  possuir  lipídeos,  glúten  e lactose   em   sua   composição.

Com relação a outros minerais, o conteúdo de K, Cobre, Ferro e Manganê scorrespondem a mais de 20% dos índices de recomendação diária para um adulto. A literatura já destaca a alfarroba como um substituto do cacau na formulação de biscoitos, massas, sobremesas, bebidas lácteas e achocolatados, sendo uma opção mais barata e com grande potencial nutritivo, isenta de cafeína e outros estimulantes.

Renan Vinícius Nogueira

Levedo de cerveja: o que é e quais os benefícios para a saúde?

As leveduras são fungos que se desenvolvem na fermentação alcoólica. Elas são utilizadas há muitos anos em vários processos industriais alimentícios como fermento biológico, um deles é no processo da fermentação da cerveja. A palavra levedura tem origem no termo latim levare que significa “crescer” ou “fazer crescer”.

A levedura apresenta alto teor proteico, o que a torna uma boa opção de fonte de proteína para vegetarianos.  Ela é rico em vitaminas B1, B2, B6, ácido pantotênico, niacina, ácido fólico e biotina, também é rico em fibras, em minerais como selênio, cromo, fósforo, ferro, cálcio, potássio, magnésio e zinco. Por possuir essa gama de nutrientes, traz muitos benefícios a saúde e pode ser considerada um alimento funcional.

Este fungo pode auxiliar na redução do LDL (colesterol ruim) e, se associado a exercícios físicos também pode aumentar os níveis do colesterol bom (HDL). Por ser rico em cromo, nutriente que tem ação sobre a insulina no organismo, a levedura também ajuda no controle da diabetes ou até mesmo na prevenção desta doença crônica. Por conter antioxidantes, como o selênio, também ajuda no combate aos danos causados pelos radicais livres, além de fortalecer o sistema imunológico.

Rico em fibras, a levedura também promove um efeito laxativo, aumentando o volume e a viscosidade do bolo fecal. Por ter em maior quantidade fibras solúveis, ou seja, fibras que são solúveis em água, também há influência na atividade de enzimas digestivas, o que melhora a taxa de digestão e absorção dos nutrientes. Essas fibras também proporcionam um atraso no esvaziamento gástrico, promovendo o aumento da saciedade.

Além de todos estes benefícios a saúde que foram citados, o levedo também mantém os cabelos saudáveis, as unhas fortes e a pele limpa, ajudando a evitar acnes. Os sintomas da TPM também são aliviados, graças ao zinco e às vitaminas do complexo B. Enfim, o levedo também ajuda a converter o carboidrato em glicose para ser utilizado como fonte de energia pelo organismo.

Com tantos benefícios assim torna-se indiscutível o consumo do levedo de cerveja. Ele pode ser encontrado em flocos, pó ou em cápsulas, opção mais prática para quem tem um dia a dia mais corrido.

 

Laís S. Baduy

A ação do Cromo e seus benefícios!

Se você procura acelerar o metabolismo de maneira prática e totalmente segura, o cromo é um mineral essencial que pode auxiliar neste processo. Conheça um pouco mais sobre a ação do cromo e seus benefícios.

O Cromo participa ativamente do metabolismo de carboidratos, atuando simultaneamente com a insulina, melhorando a tolerância à glicose por sensibilizar a liberação do respectivo hormônio (MERTZ W. 1969).

Por sensibilizar à insulina, o cromo pode influenciar também no metabolismo proteico, promovendo maior estímulo da captação de aminoácidos e, consequentemente, aumentando a síntese proteica (CLARKSON PM, 1997). Existem, ainda, algumas evidências sobre a função do cromo no metabolismo dos lipídios (gorduras), auxiliando no controle dos colesteróis resultando em consequente equilíbrio plasmático dos mesmos (GRANT K.E ET Al; 1997).

A capacidade do cromo de sensibilizar a liberação de insulina pode auxiliar na reversibilidade ou na minimização da colateralidade de doenças crônico-degenerativas, tais como diabetes (I e II) e síndromes metabólicas. Pode auxiliar também no processo de emagrecimento, pois, sua capacidade em auxiliar o controle glicêmico estimulando a liberação de insulina faz com que a sensação de saciedade seja mais prolongada, principalmente pela liberação de leptina, hormônio que inibe o apetite (NEGRÃO AB,2000). O cromo pode influenciar também na diminuição da compulsividade por doces, ou seja, pra quem sofre com ansiedade e vê no consumo de açúcar a rota de fuga para diminuir o processo, pode utiliza-lo como um importante aliado.  A publicação recente das novas ingestões dietéticas de referência (DRI) trouxe um valor de ingestão adequada para este mineral correspondente a 25 e 35µg/ dia para mulheres e homens adultos, respectivamente.

É importante lembrar que por menor que sejam os riscos, o consumo deve ser sempre produto da orientação e prescrição de profissionais capacitados, até mesmo para garantir a integridade da suplementação, seja nos aspectos clínicos ou voltados ao rendimento atlético.

As Cápsulas do Picolinato de Cromo de diversas marcas e dosagens, você encontra aqui!

Como Combater o Colesterol

Ômega-3 no Combate ao Colesterol

No mês de agosto comemoramos o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. Níveis de colesterol elevados podem ser os primeiros indícios de que a sua saúde não está bem, e podem provocar doenças cardiovasculares, como infarto e acidente vascular cerebral. Por isso, mostraremos como atua o Ômega-3 no combate ao colesterol.

 

Como sabemos, colesterol é uma substância gordurosa, consumida através da alimentação e também produzida pelo corpo humano. Quando consumido em baixo nível, representa um resultado positivo e até essencial para o funcionamento do nosso corpo: é um componente de membranas; precursor de vitamina D e de hormônios e faz parte do funcionamento cerebral.

Uma alimentação saudável é capaz de reduzir os níveis de colesterol e manter longe os problemas cardiovasculares. Alguns alimentos são peças chave para o controle dessa substância essencial ao nosso corpo, como peixes, farinha de linhaça e azeite extra virgem. Esses alimentos tem boas concentrações de ômega-3, um ácido graxo (gordura) que previne doenças cardiovasculares. Na dose certa, esse ácido graxo diminui a fração LDL (colesterol ruim) e aumenta a fração HDL (colesterol bom).

O ômega-3 está presente principalmente em peixes, como sardinha, salmão, atum, truta, cavala e arenque, e também em algumas sementes, como a linhaça. Seu consumo diário deve ser em torno de 1,8g e por isso a suplementação desse óleo em capsulas pode facilitar – e muito – seu dia a dia.

Converse com seu nutricionista, saiba como cuidar da sua saúde e a recomendação ideal de ômega-3 para você.

Nutricionista: Denise Fedato Rezende
CRN: 8- 9787