Arquivo da categoria: Beleza

QUEDA DE CABELOS: COMO MINIMIZAR OU REVERTE-LA? EXISTE SUPLEMENTO PRA ISSO?

Milhões de pessoas passam por um processo muito comum todos os dias: a queda de cabelo. Perde-se em média de 100 a 200 fios por dia, porém logo em seguida novos fios nascem por meio do processo do chamado folículo piloso. Cada cabelo tem seu programa geneticamente organizado que inclui crescimento, repouso, queda e o recrescimento. O problema ocorre quando este equilíbrio é afetado e a perda de cabelo ultrapassa a (re) síntese do mesmo. A queda é um processo natural e reversível de regeneração corporal, entretanto se a perda for muito intensa ocorre à atrofia da raiz e se o distúrbio não for diagnosticado a tempo, podem surgir falhas de fios no local. Deficiências nutricionais podem levar a alterações no ritmo de crescimento, coloração do fio e também em suas propriedades mecânicas, como resistência ao trauma. A utilização de suplementação nutricional é, muitas vezes, essencial para a reversão, estagnação ou minimização de um quadro de Alopecia. Alopecia é a redução parcial ou total de pelos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter uma evolução progressiva, resolução espontânea ou controlada com tratamento médico.

Dentre os fatores nutricionais que interferem diretamente na ‘’ longevidade dos cabelos’’, a deficiência vitamínica e mineral é uma das causas mais contribuintes, diante disto, discorreremos qual a importância de algumas vitaminas e minerais na síntese de queratina e do cabelo, de forma a minimizar as perdas o otimizar o processo de (re)síntese. Vitaminas do COMPLEXO B atuam como cofatores enzimáticos na síntese de queratina (proteína impermeável que compõe o fio) e sua carência pode desencadear ou piorar quadros seborreicos com inflamação no couro cabeludo. Deficiências de FERRO e ZINCO podem levar a alterações do aproveitamento de aminoácidos essenciais à síntese do fio. A carência de VITAMINA C leva também a alterações da estrutura capilar, já que a mesma é responsável pela síntese do colágeno. Há evidências de que há um impacto nutricional na manutenção da resistência do fio de cabelo e a suplementação com vitaminas e oligoelementos combinados utilizada (ácido fólico, biotina, vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B12, A, E, C, além dos minerais ferro, magnésio e zinco) pode melhorar as propriedades de resistência da fibra capilar.

Portanto, cuidar da sua alimentação e ingerir níveis adequados de vitaminas e minerais pode interferir na qualidade e durabilidade do seu cabelo. Se você quer ter cabelos fortes, resistentes, brilhosos e com coloração definida, lembre-se: uma coisa não anula a outra. O propósito deste texto não é sugerir que os cosméticos não auxiliam no processo, longe disso. Mas que a alimentação é de SUPER importância na saúde capilar. E já que estamos falando em SUPER, a SUPERFIT SUPLEMENTUS possui complexos vitamínicos e minerais com as características do supracitado. Não deixe de aproveitar! Faça uma visita em nosso site. PROVE A ENERGIA!

RENAN VINICIUS

BENEFÍCIOS DO COLÁGENO

Benefícios do colágeno

O colágeno é uma proteína produzida pelo nosso corpo e sintetizada pelos tecidos conjuntivos. Ela é responsável pela elasticidade, sustentação e estrutura de tecidos, como a pele, músculos, ossos, cartilagens, vasos sanguíneos e tendões.

Em sua forma de fibras ou em pó, pode ser submetida a uma reação de hidrólise, que leva a produção de gelatina ou colágeno hidrolisado. Nesta forma ele melhora a firmeza da pele, proteção aos danos nas articulações, prevenção do envelhecimento precoce e também a prevenção da úlcera gástrica. Nesta forma esta proteína contém níveis mais altos de aminoácidos (da glicina e prolina), que são essenciais para a estabilidade e regeneração das cartilagens.

Com a idade nosso corpo passa a produzir menos colágeno e a ação das enzimas que o degradam aumenta, isto acelera o processo de envelhecimento da pele. Levando este processo em consideração, estudos vem levantando a hipótese de que a suplementação dietética com colágeno hidrolisado pode promover a síntese do colágeno na pele, ou seja, desta forma ele melhora a aparência e a saúde deste tecido e também retarda seu envelhecimento.

Este nutriente pode ser encontrado em vários alimentos como, carnes brancas e vermelhas, castanhas, ovos, gelatina, entre outros. Também pode ser consumido em pó ou em cápsulas. Sua recomendação de ingestão diária para que você obtenha os benefícios desta proteína é de 10g ao dia e, para que a síntese do colágeno ocorra de forma correta é necessário adicionar ao cardápio alimentos ricos em vitamina C, como as frutas cítricas (maracujá, abacaxi, limão, laranja, kiwi), nos suplementos,em sua maioria, este nutriente já vem adicionado. Para maiores informações sobre como consumir consulte um profissional nutricionista.

Groselha Negra e seus Benefícios

A groselha negra é um arbusto originário da Europa do Norte. De seu fruto, pode-se obter um licor ou suco com propriedades anti-inflamatórias e anti-oxidativas. Propriedades estas, que devem ser atribuídas ao ácido graxo do tipo ômega-6: Ácido gama linolênico (AGL), presente em abundância nos frutos do arbusto. Este ácido graxo é produzido em nosso corpo à partir do ácido linoleico (AL), comum nos óleos de girassol, soja, milho, algodão, etc. Algumas pessoas possuem dificuldade na produção destes AGL’s e, consequentemente, na produção de ácido dihomo gama linolênico (ADGL), um importante mediador anti-inflamatório e o principal responsável pelos benefícios do uso do óleo. Os motivos que levam a baixa produtividade deste ácido ainda não foram bem elucidados, mas sabe-se, até então, que são multifatoriais, transitando em fatores genéticos, ambientais, hormonais e enzimáticos.

A groselha negra é uma rica fonte de AGL. Este princípio ativo possui propriedades terapêuticas como a prevenção ou reversibilidade de desordens da pele (dermatites, ressecamento, descamação, vermelhidão e psoríase – queimaduras). O ácido linolênico (AL) é o ácido graxo essencial mais abundante da pele humana e sua deficiência pode culminar em perca de água e escamosidade da pele. Normalmente a pele é deficiente nas enzimas que convertem o AL em AGL e ADGL (de maior bioatividade), portanto, a ingestão de óleos ricos em AGL possuem potencial de corrigirem ou tratarem uma série de enfermidades, inclusive o ressecamento da pele.

Dentre outros benefícios associados a ingestão de AGL/ADGL, estão a diminuição de processos inflamatórios articulares, tais como os decorrentes de artrites reumatoides, artroses e tendinopatias severas, minimização da calvície por bloqueio enzimático (diminuição da conversão de testosterona em di-hidrotestosterona, forma ativa da testosterona que retarda a produção capilar, além de aumentar a pré-disposição a cânceres como os de próstata), diminuição da neuropatia associada a quadros de diabetes através do aumento de velocidade da condução nervosa (mielinização), controle dos triglicerídeos circulantes, diminuição da dismenorreia primária (cólica menstrual) ou secundária (proveniente da intensificação de quadros de endometriose, miomas uterinos e infecções urinárias), além de diminuir sintomas da TPM, como dores e hipersensibilização mamária.

Portanto, conclui-se que a utilização do Óleo de groselha negra pode vir a ser uma boa alternativa não invasiva e barata no tratamento de várias patologias, disfunções ou distúrbios, podendo ser usado na forma de suplemento, inclusive, para tratamentos com finalidades estéticas. É importante destacar que a quantidade a ser ingerida é relativa ao objetivo do indivíduo e estado fisiológico atual. Para maior eficácia do uso e aproveitamento de suas propriedades nutricionais, é importantíssimo procurar a orientação de um profissional de nutrição.

 

Renan Vinicius Nogueira

 

Alimentação x Sono

Quantas horas você dorme por dia? Para alguns indivíduos a arte de ter uma boa noite de sono é um desafio e tanto, a qualidade do seu sono pode estar diretamente ligada a qualidade da sua alimentação.

Algumas pesquisam relatam que os brasileiros têm como habito ter cerca de sete horas e meia de sono, ficando abaixo da média de outros 20 países pesquisados. Isto está diretamente ligado a alguns fatores como estresses, problemas financeiros, excessos de aparelhos eletrônicos com o celular ou tudo isso associado além dos maus hábitos alimentares.

Se dormimos mal este hábito a longo prazo pode potencializar o desenvolvimento de algumas doenças como obesidade, hipertensão, doenças ligadas ao coração e diabetes.

Quando o assunto é alimentação temos de lembrar que alguns alimentos podem prejudicar ainda mais a qualidade do seu sono, por incrível que parece alguns alimentos são ricos em cafeína substancia esta que estimula o sistema nervoso central e com isso atrapalhando a qualidade do sono ou até mesmo provocando insônia.

Alimentos ricos em cafeína:

  • Guaraná;
  • Chá preto, chá mate e chá verde;
  • Refrigerantes;
  • E chocolates.

Outros alimentos que devemos evitar antes de dormir, são aqueles ricos em gorduras pois podem causar algum mal-estar gástrico, refluxo e até mesmo azia além dos alimentos gorduroso o consumo de grandes volumes alimentares também podem causar os mesmos sintomas.

Alimentos gordurosos:

  • Bacon;
  • Linguiças;
  • Fast Food em geral;
  • E/ou Frituras.

Mais não fiquem desesperado (a) pois temos alimentos que são “amigos” do sono, uma das alternativas para melhorar a qualidade do sono e/ou e acabar com as noites mal dormidas é dar preferência a alimentos ricos em Triptofano, substancia essa que ajuda na produção da Serotonina que é um poderoso neurotransmissor que favorece o relaxamento e induz o sono.

Alimentos ricos em Triptofano.

  • Carnes;
  • Peixes;
  • Ovos;
  • Leite e derivados.

Então aquele leitinho quente antes de dormir que a nossa “vovó” sempre falou que ajudava a dormir é 100% verdade.

Uma boa noite de sono está diretamente ligado a qualidade de vida então, escolha melhor seus alimentos, pratique atividade física diariamente, evite usar aparelhos eletrônicos antes de dormir e procure sempre ir se desligando da agitação do dia-dia e aproveite seu sono.

E bons sonhos!!

 Mariana Buriolla – CRN 5220

           Nutricionista

 

Neste Carnaval Mantenha-se Hidratado

Já falamos aqui sobre alimentos que dão energia e quais os melhores alimentos para ser consumidos para manter o organismo em equilíbrio, e para completar este tema hoje vamos falar sobre a importância da hidratação durante o período de carnaval.

Como todos nós sabemos o carnaval é uma festa que acontece anualmente e no verão, então é muito comum ficarmos o dia todos em baixo do sol pulando, dançando e bebendo, porém com todos esses fatores mais o calor nosso organismo perde com a transpiração muitos eletrólitos como sódio, potássio e magnésio, por isso a ingestão de líquidos não alcoólicos é fundamental para repor os minerais perdidos no suor.

Pensando nisso vamos passar algumas dicas de como se manter hidratado durante o carnaval.

Água – mantenha sempre garrafinha com água junto de você para estar sempre se hidratando.

Frutas – consuma frutas com alto teor de água como melancia, abacaxi, morango entre outros, além de manter você hidratado essas frutas contém uma alta concentração de vitaminas e minerais.

Picolés de frutas – excelente para se manter hidratado e dar aquela refrescada no corpo.

Água de coco – além de matar a sede esta bebida hidrata devido a lata concentração de eletrólitos, repondo assim todos os minerais que perdemos devido ao suor.

Agora é continuar seguindo as dicas e aproveitar a folia toda do carnaval.

Mariana Buriolla – CRN 5220

Nutricionista

 

CLA e seus benefícios!

Se você procura algo para lhe auxiliar no processo de emagrecimento. Então, certamente você precisa conhecer o CLA e seus benefícios, que irão atuar de maneira segura e eficaz em seu organismo. Neste post, iremos explicar não só a maneira que ele atua, mas também os benefícios que ele traz para sua saúde e as formas em que é encontrado.

O CLA (Ácido Linoleico Conjugado) é um ingrediente utilizado em muitos suplementos alimentares e que tem sido estudado intensamente nos últimos dez anos, principalmente por promover benefícios à saúde em humanos, como por exemplo: Efeito anticarcinogênico (prevenção a alguns tipos de câncer) e a modulação do sistema imunológico (SANHUEZA, J. C; 2002). É capaz de reduzir indiretamente a captação de ácidos graxos pelos adipócitos através da redução da atividade de uma enzima, a lipase lipoproteica, minimizando o acúmulo de gordura celular. O CLA é encontrado em pequenas quantidades nos óleos vegetais. Sua concentração é particularmente elevada na carne e no leite dos ruminantes (mamíferos herbívoros), com ênfase nos queijos, no leite e na manteiga (GATTÁS, G; 2005).

Os mecanismos de ação do CLA que justificam a indução do consumo aumentado de lipídeos são baseados na diminuição do número e do tamanho das células de gordura (que se traduz em menos armazenamento após a ingestão de gordura), aumento da taxa de degradação de gordura nos adipócitos (células de gordura) e/ou o bloqueio de certas enzimas, facilitando a entrada deste nutriente na mitocôndria (organela responsável por converter gordura em energia). Em modelos experimentais de hipercolesterolemia (excesso de colesterol no sangue), o CLA tem mostrado resultados expressivos na diminuição dos níveis plasmáticos de colesterol, com respostas similares aos obtidos com ômega-3 (FERRER, N. 2011).

Portanto, conclui-se que o CLA auxilia no processo de emagrecimento ao diminuir a quantidade de gordura armazenada nas células gordurosas, diminuindo juntamente o tamanho e a capacidade de estocar das mesmas. Auxilia não somente na mobilização, como também no consumo de gordura através da inibição de algumas enzimas que retardam este processo, evitando simultaneamente o acúmulo excessivo de triglicerídeos no fígado e outros tecidos/órgãos, melhorando a funcionalidade orgânica e diminuindo ou evitando processos inflamatórios. Lembrando que, é importantíssimo consumi-lo sob indicação e supervisão de um profissional, já que a necessidade dos indivíduos é muito relativa.

Prove a Energia!

A ação do Cromo e seus benefícios!

Se você procura acelerar o metabolismo de maneira prática e totalmente segura, o cromo é um mineral essencial que pode auxiliar neste processo. Conheça um pouco mais sobre a ação do cromo e seus benefícios.

O Cromo participa ativamente do metabolismo de carboidratos, atuando simultaneamente com a insulina, melhorando a tolerância à glicose por sensibilizar a liberação do respectivo hormônio (MERTZ W. 1969).

Por sensibilizar à insulina, o cromo pode influenciar também no metabolismo proteico, promovendo maior estímulo da captação de aminoácidos e, consequentemente, aumentando a síntese proteica (CLARKSON PM, 1997). Existem, ainda, algumas evidências sobre a função do cromo no metabolismo dos lipídios (gorduras), auxiliando no controle dos colesteróis resultando em consequente equilíbrio plasmático dos mesmos (GRANT K.E ET Al; 1997).

A capacidade do cromo de sensibilizar a liberação de insulina pode auxiliar na reversibilidade ou na minimização da colateralidade de doenças crônico-degenerativas, tais como diabetes (I e II) e síndromes metabólicas. Pode auxiliar também no processo de emagrecimento, pois, sua capacidade em auxiliar o controle glicêmico estimulando a liberação de insulina faz com que a sensação de saciedade seja mais prolongada, principalmente pela liberação de leptina, hormônio que inibe o apetite (NEGRÃO AB,2000). O cromo pode influenciar também na diminuição da compulsividade por doces, ou seja, pra quem sofre com ansiedade e vê no consumo de açúcar a rota de fuga para diminuir o processo, pode utiliza-lo como um importante aliado.  A publicação recente das novas ingestões dietéticas de referência (DRI) trouxe um valor de ingestão adequada para este mineral correspondente a 25 e 35µg/ dia para mulheres e homens adultos, respectivamente.

É importante lembrar que por menor que sejam os riscos, o consumo deve ser sempre produto da orientação e prescrição de profissionais capacitados, até mesmo para garantir a integridade da suplementação, seja nos aspectos clínicos ou voltados ao rendimento atlético.

As Cápsulas do Picolinato de Cromo de diversas marcas e dosagens, você encontra aqui!

Alimentos Termogênicos

Os alimentos termogênicos são aqueles que apresentam maior grau de dificuldade ao serem digeridos pelo organismo, fazendo com que o consumo de energia e caloria para realizar a digestão sejam mais expressivos. Gasta-se energia para digerir todos alimentos, ou seja, qualquer macro (carboidrato, proteína e lipídio) tem a capacidade de aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, podendo desta forma aumentar concomitantemente a queima de gordura. Existem alguns que se destacam mais que outros, pois, induzem o metabolismo a trabalhar em um ritmo mais acelerado ou de maneira mais intensa, seja pela dimensão da estrutura molecular ou pela propriedade nutricional intrínseca. Alguns nutrientes não possuem valor energético tão elevado, mas corroboram catalisando o processo termogênico. Dentre os mais populares temos:

Taurina: A taurina é um aminoácido cuja função é aumentar a excreção celular de sódio e de água (efeito diurético), regular a entrada de cálcio nas células cardíacas, garantindo melhor contratilidade e protege o coração contra a ação deletéria dos radicais livres (efeito antioxidante).

 

Pimenta vermelha doce: A capsaicina é o componente ativo das pimentas. O consumo desse aditivo aumenta a salivação, estimula a secreção gástrica e a motilidade gastrointestinal, proporcionando uma sensação de bem-estar (CRISÓSTOMO ET AL, 2006). Em estudos com seres humanos, a pimenta vermelha induziu redução na repetição da ingestão alimentar, elevado gasto energético pós-refeição e oxidação lipídica, ou seja, maior queima e utilização de gordura (WESTERTEP ET AL, 2005).

 

Laranja Amarga: Tradicionalmente, a laranja amarga é usada como medicamento alternativo em alguns países para tratar ansiedade, insônia e como anticonvulsiva. Estudos sugerem que a laranja amarga (citrus aurantium) pode melhorar o tempo de sono induzido por barbitúricos e diminuir a compulsividade alimentar (MAHMOOD AKHLAGHI, 2011).

 

Cafeína: A cafeína é adicionada à maioria dos suplementos termogênicos devido à sua capacidade em aumentar o metabolismo, promover a lipólise, a oxidação de gordura e colaborar, indiretamente, com o aumento da força muscular. Quando consumida em doses moderadas tem mostrado aumentar o desempenho físico e mental, tornando-a assim o composto ideal para combater a fadiga (WELLS A. J; 2014).

 

L-Carnitina: Como suplemento, a L-carnitina vem sendo utilizada com efeitos comprovadamente positivos, com o intuito de realçar a performance aeróbia (BRASS E.P; 2000), provavelmente devido à facilitação da entrada de gordura para o interior da mitocôndria, organela que ‘’queima’’ os nutrientes e produz energia, sendo assim, umas das responsáveis diretas pela termogênese. Alguns estudos demonstraram que a L-carnitina poderia retardar a fadiga muscular e as dores causadas pelo esforço físico excessivo, atuando também, quando suplementada, como um antioxidante intracelular, ou seja, prevenindo a célula das agressões dos radicais livres.

Alimentos e nutrientes termogênicos

Como já foi esclarecido no texto anterior, termogênese refere-se à produção de calor e controle deste processo. Quando produzimos mais energia/calor, nós queimamos calorias adicionais. Partindo deste princípio, a termogênese é subdividida em termogênese induzida pela dieta e termogênese facultativa. O efeito térmico dos alimentos, também conhecido como termogênese induzida pela dieta, é a energia gasta para que alimentos ou bebidas consumidas possam ser processados e digeridos pelo organismo.

 

A termogênese induzida pela dieta representa cerca de 10% do gasto energético diário total (RUDDICK-COLLINS et al., 2013). Já a termogênese facultativa possui relação com a prática de atividades físicas e mudanças de temperatura externa que culminam em maior produção ou perda de calor, por exemplo, ‘’ o friozinho ao sair de uma piscina’’. Considerando esses aspectos, esse texto buscou apresentar e esclarecer quais alimentos e nutrientes possuem propriedades termogênicas, além de apresentar alguns elementos que podem influenciar o respectivo processo, como diferentes composições e combinações nutricionais, tendo como objetivo primário fundamentar o leitor sobre o que pode lhe auxiliar na queima de gordura.

Existem vários alimentos com efeitos termogênicos. Dentre os mais populares e de maior acessibilidade, levando em consideração nossa cultura e a disponibilidade dos mesmos no país, temos a pimenta doce, gengibre, vegetais fibrosos (brócolis, acelga, couve), café, guaraná, chá verde, gorduras vegetais (em especial a de coco), cacau, canela, clanberry e café verde.  Todos possuem propriedades termogênicas, anti-oxidativas, anti-inflamatórias e podem ter estas ações intensificadas através da combinação nutricional, como por exemplo a canela com o café, café com óleo de coco ou um mix de vegetais, tais como brócolis, pimenta e gengibre temperados com óleo de linhaça. O fato é que cada nutriente possui sua especificidade em relação a sua composição e, consequentemente, seu efeito. É importante ressaltar que a composição e a ação podem ser alteradas de acordo com a forma de preparo, sendo recomendado o consumo cru ou o cozimento vaporizado. Também existem recursos como os suplementos termogênicos, que contém em suas fórmulas uma ou mais substâncias que auxiliam neste processo. No próximo post, discutiremos sobre uma sub-categoria de nutrientes que auxiliam de forma significante na eliminação da gordura corporal.

O verão vem chegando e você: Tem gostado do que vê no espelho?

Que tal já começar a se preparar, reorganizar sua rotina de treinos e, principalmente, de dieta? Com foco em te informar e, quem sabe, de ajudar você na busca dos seus objetivos, nas próximas postagens vamos abordar as características de importantes nutrientes com propriedades termogênicas e que ajudam na queima de gordura corporal.

 

TERMOGÊNICOS:

Termogênese literalmente refere-se à produção de calor e controle deste processo. Quando produzimos mais energia / calor, nós queimamos calorias adicionais. Qualquer substância que estimule a taxa metabólica de repouso, aumente indiretamente a perda de calor para o ambiente externo e, tem como produto final um maior consumo calórico é chamada de agente termogênico.

“O balanço energético, caracterizado pelo equilíbrio entre o gasto energético e a ingestão calórica, tem um importante papel no controle do peso e da reserva de gordura corporal (HERMANA, H; 2007)”. Para entender como este balanço é perdido, é necessário investigar a ingestão, oxidação, termogênese e estocagem dos macronutrientes, com ênfase na gordura, armazenada principalmente após as refeições.

Partindo deste princípio, aumentar a capacidade termogênica logo após a refeição, de forma segura e controlada, tem sido um mecanismo muito efetivo para a perda de peso e melhora do perfil lipídico.

Da mesma forma, o uso de substâncias ou nutrientes termogênicos, antes e/ou durante o treino, principalmente os de intensidade moderada, no qual o consumo lipídico é proporcionalmente maior depois de determinado tempo, tem desencadeado maior ‘’queima’’ de gordura, garantindo simultaneamente melhoras fisiológicas e estéticas.

É fundamental considerar que embora alguns alimentos contenham substâncias com propriedades termogênicas, as concentrações destes nutrientes acabam não sendo tão significantes ao ponto de desencadearem a queima de gordura. Entram então, em cena, os suplementos termogênicos. Produzidos a partir de alimentos e tendo seu consumo considerado seguro pelo Ministério da Saúde, estes Suplementos propiciam maior energia e desempenho garantindo assim maior queima de gorduras sem oferecer riscos a sua saúde.

Acompanhe as próximas postagens. Vamos nos aprofundar neste tema que interessa a todos que buscam melhor forma física e qualidade de vida.

Os melhores suplementos para auxiliarem seu desempenho, você encontra aqui!